sexta-feira, julho 25, 2008

Véspera


Véspera é o caminho do futuro que espreita antes de ser presente, dia em que sempre chove cá dentro, porque é de menos.

Véspera é esta nuvem cheia de vapor de horas - tão intensas que posso empurrá-las - de marcação agitada de gestos, de compostura das cenas, de confluência de tudo; dia em que nunca vi sombras, porque é demais.

Véspera sou eu preparando a tua entrada preparada para ser; dia és tu subposto ao tic tac do mundo, tu anexo à hora da partida.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial